Letra da música
As Coisas do Meu Rincão
José Mendes

LP Gauchadas (1971)


Abandonei a querência, contrariei meu coração
Por andar muito cansado da vida que leva um peão
Trabalhava noite e dia, me pagavam quase nada
Arriscava a minha vida laçando boi na invernada
Cá na cidade vivo de recordação
Quase morro de saudade das coisas do meu rincão

Peguei meu cavalo zaino, companheiro de jornada
Presenteei para uma prenda que era minha namorada
Fiz a gaúcha chorar, quando eu lhe disse assim
Cuide bem do meu cavalo e nunca te esqueças de mim

Tem certas coisas que machucam o coração
Lembro o meu cavalo zaino e das coisas do meu rincão
Diz que até os passarinhos não se escutam mais cantar
Depois que eu vim me embora, voaram pra outro lugar
Lembro das brigas de touros, do brazino e do zebu
Das noites de lua cheia e das caçadas de tatu
O meu cachorro latindo lá no capão

Lembro a minha prenda linda e das coisas do meu rincão

Coitado de um pobre peão, estranha barbaridade
Saindo lá da campanha pra morar cá na cidade
É uma vida diferente, não tem nem comparação
Quando lembro as suas coisas machuca seu coração
Ando sofrendo, pois tenho muita razão
Estava muito acostumado com as coisas do meu rincão


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

PRENDA: Jóia, relíquia, presente (dádiva) de valor; em sentido figurado, é a moça gaúcha porque ela é jóia do gaúcho.

RINCÃO: Lugar isolado em fundo de campo.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Abandonei a querência, contrariei meu coração Por andar muito cansado da vida que leva um peão Trabalhava noite e dia, me pagavam quase nada Arriscava a minha vida laçando boi na invernada
Gauchadas de José Mendes

Com uma trajetória de sucesso José Mendes em seu LP Gauchadas, lançado em 1971, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de José Mendes.

Parceiros