Letra da música
Alma de Chamamé
Walther Morais

CD Pra não Falar em Cavalo (2001)


Esta música está disponível para ouvir

Dentro de mim há um rio
Enfrentando os desafios que a própria vida ensinou
Sou taura destas barrancas
De água e espumas brancas que o rio grande demarcou.
Vou palanqueando a verdade
Entre enchentes de saudades repletas de telurismo
A minha voz é a do povo
Que planto sempre de novo no coração o atavismo.

Trago a verdade de um pai
Balseiro deste uruguai que a historia fez renascer
A grito de sapucay
Que com as águas se vai pra alma de um chamamé

Sou quebra destes confins
Onde a tristeza tem fim nos braços de uma potranca
E o sol que me viu nascer
Faz ser ciência o saber pra cada filho da pampa.
Tenho trazido comigo
A dádiva dos amigos no calendário do peito
Sou barranqueiro e campeiro
Deste meu sul brasileiro raiz de um canto direito.


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

TAURA: Vivente que se pode recomendar.

POVO: Vila, distrito.

CAMPEIRO: Vivente que monta bem e é hábil no serviço de campo.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Dentro de mim há um rio enfrentando os desafios que a própria vida ensinou sou taura destas barrancas de água e espumas brancas que o rio grande demarcou.
Pra não Falar em Cavalo de Walther Morais

Com uma trajetória de sucesso Walther Morais em seu CD Pra não Falar em Cavalo, lançado em 2001, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Walther Morais.

Parceiros