Letra da música
Bicho da Chuva
Ênio Medeiros

CD Cavalo das Américas (2011)


Esta música está disponível para ouvir


Os bicho' preto' vem subindo na coxilha
Anunciando vento frio e temporal
Vem caminhando uns em cima dos outro'
Ladeira acima, fugindo do banhadal
Só quem entende a previsão dos homem' antigo'
E observa o jeito dos animais
Espera o agosto com a tulha cheia de bóia
Batata doce e linguiça nos varais

Meu poncho velho que me abriga do rigor
E eu vou contando pra esses jovens de caderno
Que nunca viram uma lagoa virar vidro
Nem bicho preto anunciar o rigor do inverno
Verão que vem vou trabalhar igual formiga
De lenhador porque esta é a minha sina
Se os bicho’ preto' repontarem na coxilha
Tô no meu rancho mateando com a minha china

O vento norte vem chorar embaixo das porta'
Pedindo chuva, o carão já faz três dias
A geada preta vem gelando até a alma
Saiu dos Andes passando por Vacaria
Bicho da chuva não se sabe aonde nasce
Se ingerido à galinha e porco faz mal
Se for o norte anunciando o tempo bom
Se for o sul vai baixar o temporal

Meu poncho velho que me abriga do rigor...



(Letra e Música: Ênio Medeiros)


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

PONCHO: Pilcha, espécie de capa sem abertura e de gola redonda que abriga do frio.

RANCHO: Primeira habitação erguida no Continente de São Pedro, edificada com material que abundava no local (leiva, torrão, pedra ou pau-a-pique e barreado), coberto com quincha.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Os bicho preto vem subindo na coxilha Anunciando vento frio e temporal Vem caminhando uns em cima dos outro
Cavalo das Américas de Ênio Medeiros

Com uma trajetória de sucesso Ênio Medeiros em seu CD Cavalo das Américas, lançado em 2011, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Ênio Medeiros.

Parceiros