Letra da música
Beira Estrada
Joca Martins

CD Por Ter Querência na Alma (2002)


O meu destino sem qurer perdeu-se
Por estas estradas, desde de onde eu vim
Busco entendê-lo, sem saber por certo
Se este é o caminho, que escolhi pra mim...

Sonhei com a brisa, amanheci ventando
E os ventos vieram vierem pra me dizer adeus
Foram anunciando a despedida e poeira
Aos olhos tristes, que nem eram meus

Assim que a casa se perdeu de vista
E o que ficou, morreu sem demora
Até seus olhos, me olham mais tristes
Quando na chuva, uma janela chora

Somos assim, iguais nesse abandono
Só essa saudade, bem maior que a minha
Ergueu-se a casa de tijolo e sonhos
Pra beira estrada, amanhecer sozinha.

Passaram viajeiros outors sonhos tantos
Em frente a porta, sem um rumo certo
Quem sabe cheguem pra tomar um mate
Se enxergarem um coração aberto

O meu destino sem querer perdeu-se
Quem é que sabe onde anda agora
Pegou o rumo da estrada
Que chega
Que pena, é a mesma, que se vai embora

Compartilhe

(letra e música para ouvir) O meu destino sem qurer perdeu-se Por estas estradas, desde de onde eu vim Busco entendê-lo, sem saber por certo Se este é o caminho, que escolhi pra mim...
Por Ter Querência na Alma de Joca Martins

Com uma trajetória de sucesso Joca Martins em seu CD Por Ter Querência na Alma, lançado em 2002, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Joca Martins.

Parceiros