Letra da música
A Sombra de uma Figueira
Joca Martins

CD Por Ter Querência na Alma (2002)


A sombra fresca da figueira velha
Se estende longe em frente das casas
Como a clamar a que os campeiros
Se acheguem cedo pra desencilhada

Xergões, caronas ficam estendidos
Secando mansos para outras horas
E as barrigueiras meio desfiadas
Guardam consigo a rudez da espora

Por mais que as tardes se mantenham quentes
Num sol a pino de abafar os dias
A alma velha se encontra a sombra
Mateando sonhos em tua geografia

Se os ventos Sopram por longas planuras
Vem os teu galhos embalar cantigas
Tornando as sombras cada vez mais frescas
Oreando garras para outras lidas

E vem os tempos em que a própria vida
Não dá guarida e nos nega estribo
Então me vejo a repisar meus rastros
Tendo a figueira como eterno abrigo

Compartilhe

(letra e música para ouvir) A sombra fresca da figueira velha Se estende longe em frente das casas Como a clamar a que os campeiros Se acheguem cedo pra desencilhada
Por Ter Querência na Alma de Joca Martins

Com uma trajetória de sucesso Joca Martins em seu CD Por Ter Querência na Alma, lançado em 2002, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Joca Martins.

Parceiros