Letra da música
Abaralhando a Barbela
Nilton Ferreira

CD Marcas do Tempo (2007)


(Gilberto Lamaison/Nilton Ferreira)

Bueno! É fim de semana, o serviço em dia, vou ter que tentear um surungo. Passei a semana inventando rima, pois me gusta abrir o peito de chegada. E, por cantar a verdade, já tem até autoridade querendo meu pelego! Mas hoje, haha, lá no Bom Sossego, de novo vou abrir minha goela, graças a Deus sem tramela. E, se não gostarem, empino a canha num gole, passo a faca no fole e, facilita, "róbo" uma donzela!

Pronto os encargos, largo meu mouro de lida
Pego o tordilho, tratado só pra fuzarca
Passa a semana no galpão quebrando milho
Mas quando sai, sai bombeando a maritaca

Corto caminho pelo campo dos Portella
Pego uma aguada, mas desvio das porteiras
Gasto dobrado tendo um pingo só pra farra
Mas cruzo a sanga sem sujar a barrigueira

Abaralhando a barbela vai meu tordilho
Pisando miúdo, por galhardo, qual o dono
Levo de tiro lotes de versos campeiros
Um HO mola dupla e uma prateada Coqueiro

Viro os pelego por mania de sestroso
Levo meu trinta recheado, mais o baleiro
Ando com fama de maleva pela volta
Só por entrar a cavalo num destes bailes campeiros

Entro na sala e vou abrindo a garganta
Nisso, me pisca a filha do dono da festa
Facilitando, "róbo" a china e corto a gaita
E, de novo, vou-me embora com fama de quem não presta

Abaralhando a barbela vai meu tordilho...


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

TENTEAR: Aguardar.

GALPÃO: Tipo de edificação que com o rancho forma um conjunto habitacional no RGS; numa Estância ou numa Fazenda, abriga o alojamento da peonada solteira, os depósitos de rações, almoxarifados, apetrechos, aperos, galpão-do-fogo, etc.

PINGO: Afetivo de cavalo de estimação.

SANGA: Pequeno córrego, bossoroca.

BARBELA: Corrente que une as gâmbas do freio.

MALEVA: Malfeitor, desalmado, mau e perverso.

CHINA: Mulher mameluca (primeira companheira do gaúcho).

Compartilhe

(letra e música para ouvir) (Gilberto Lamaison/Nilton Ferreira) Bueno! É fim de semana, o serviço em dia, vou ter que tentear um surungo. Passei a semana inventando rima, pois me gusta abrir o peito de chegada. E, por cantar a verdade, já tem até autoridade querendo meu pelego! Mas hoje, haha, lá no Bom Sossego, de novo vou abrir minha goela, graças a Deus sem tramela. E, se não gostarem, empino a canha num gole, passo a faca no fole e, facilita, "róbo" uma donzela!
Marcas do Tempo de Nilton Ferreira

Com uma trajetória de sucesso Nilton Ferreira em seu CD Marcas do Tempo, lançado em 2007, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Nilton Ferreira.

Parceiros