Letra da música
A "fia" do João Ventura
Mano Lima

CD Mbororiano, Rio Grandense e Brasileiro (2020)


A sorte a gente acha
E o azar a gente procura
Encilhei uma égua baia
Com as quatro pata escura

Botei uma bombacha branca
E um lenço de seda pura
Fui visitar a namorada
A fia do João Ventura

Saí pachola assobiando
De longe, eu vi minha prenda
Tava linda me esperando
Na jinela da fazenda

Me mandou que eu passasse
E o assunto não vinha
Era um tempo de seca
Há muito que não chovia

Disse ela: - Sai a lua
Que o tempo chove de fato!
Eu disse: - Se não na nova,
Pode chover entre os quarto!

O assunto tava lindo
Mas, nisso, o véio chegou
E eu resolvi vim me embora
E aí que não prestou

Um cusco véio brasino
Desses que chamam o campeiro
Dessas mistura de raça
Mas tem lagarto no meio

Despôs que pega não larga
Obedece nem o dono
Mordeu no garrão da égua
Que me deu um baita tombo

Aquela égua veiaqueando
E me cruzando por cima
Inda ia me mijando
Oigalê! Que triste sina

Eu não queria afrouxar
E o João Ventura não vinha
E a namorada me olhando
Dando adeus pro Mano Lima

A minha bombacha branca
Ficou vermelha de terra
Meu lenço de seda pura
Fedia a mijo de égua

(O cabresto, eu não frouxei
Os arreio, eu não perdi
Mas a fia do Ventura
Eu nunca mais a vi.) Bis


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

BOMBACHA: Calça-larga abotoada na canela do gaúcho

TAVA: O osso do jogo-do-osso.

CUSCO: Pequeno cachorro (o mesmo que guaipeca).

BAITA: grande, crescido; (Se usa em outras partes do Brasil)

Compartilhe

(letra e música para ouvir) A sorte a gente acha E o azar a gente procura Encilhei uma égua baia Com as quatro pata escura
Mbororiano, Rio Grandense e Brasileiro de Mano Lima

Com uma trajetória de sucesso Mano Lima em seu CD Mbororiano, Rio Grandense e Brasileiro, lançado em 2020, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Mano Lima.

Parceiros