Letra da música
A Morte do Pai do Badanha
Crioulo dos Pampas

LP Cidadão a Cores (0)


Esta música está disponível para ouvir

Neste momento precioso
Vou contas uma façanha
De um baile que eu assisti
Lá no combo da campanha
Um lugar desconhecido
No meio de gente estranha
Chegou um sujeito mau
Com a cuia cheia de canha
Destes valentes pachola
Deu um tiro de pistola
E matou o pai do Badanha.

Foi um bochincho dos diabos
Mas valente não se acanha
Já saltou dando bordoada
No compadre Mascaranha
Veio uma gorda correndo
Num berreiro, coisa estranha
Tropeçou no falecido
Caiu por cima da banha
Nunca vi morto falar
Mas teve que até gritar
Pobre do pai do Badanha.

Uma velhinha surrapa
Atacava igual piranha
Pegava a pobre das moças
Mordia só na picanha
Mas outra velhaca astuta
Usou de sua artimanha
Gritando: aguenta o laço, velha boa não faz mãnha
E pra encurtar o assunto
Tinha mais de dez defunto
Contando o pai do Badanha.

Jamais na vida eu esqueço
Aquela triste façanha
Tenho medo e não assisto
Mais surungo de campanha
Nem tampouco mais me meto
No meio de gente estranha
E pra aqueles que morreram
Acendo vela e dou canha
Penso e fico arrepiado
E nos dias de finado
Eu rezo pro pai do Badanha.


"Quem quiser se queixar, que se queixe pra mãe do Badanha"

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Neste momento precioso Vou contas uma façanha De um baile que eu assisti Lá no combo da campanha
Cidadão a Cores de Crioulo dos Pampas

Divulgando seu trabalho, Crioulo dos Pampas no LP Cidadão a Cores, traz ao público que prestigia música gaúcha, que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul, grandes sucessos da música gaúcha. Veja a discografia de Crioulo dos Pampas.

Parceiros