Letra da música
Namoro de Corvo
Leonel Gomez

CD Pago Lendário (2006)


Num cerrito descarnado
Perau de pedra e de tuna,
Clareado de blanca luna
A moldura arredondada,
No arrancar da madrugada
Ja se via uma figura,
La no topo das alturas
Negra estampa apaixonada,

O verde pasto da pampa
Pelo sereno molhado,
E o casal apaixonado
Na noite de primavera,
Estar assim quem me dera
Cobicei de relancina
Pensando da triste sina
Do meu coração tapera.

Bombeava, bombeava o corvo pra corva
E ela com ar de ronronar...
Retinta como a cambona
Floreava o bico nas pena
E o corvo veio torena, vaqueano e cooperativa
Largou uma asa por riba
Abraçando a linda morena.

Lembrei de voltas passada
Dum pala preto que tinha,
E o galopito que vinha
Em direção ao povoado,
E sempre o mesmo bragado
Pingo de redea e de pata,
Lembrei tambem da mulata
Por quem tive enfeitiçado.

Assim se deu o romance
Pra quem se lembra o espanto,
E juro por qualquer santo
Inté por nossa senhora,
Que descobri nessa hora
A força bruta do amor,
E lhes juro sim senhor
Que corvo também namora

[bombeava, bombeava o corvo pra corva
E ela com ar de ronronar...
Retinta como a cambona
Floreava o bico nas pena]
E o corvo veio torena, vaqueano e cooperativa
Largou uma asa por riba
Abraçando a linda morena.


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

SERENO: Orvalho.

SINA: Destino, sorte.

VAQUEANO: Prático e conhecedor do lugar.

PALA: Poncho leve de seda (para o verão), de algodão (para meia-estação) e de lã tramada ou bixará (para o inverno).

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Num cerrito descarnadoperau de pedra e de tuna,clareado de blanca lunaa moldura arredondada,no arrancar da madrugadaja se via uma figura,la no topo das alturasnegra estampa apaixonada,o verde pasto da pampapelo sereno molhado,e o casal apaixonadona noite de primavera,estar assim quem me deracobicei de relancinapensando da triste sina do meu coração tapera.bombeava, bombeava o corvo pra corvae ela com ar de ronronar...retinta como a cambonafloreava o bico nas penae o corvo veio torena, vaqueano e cooperativalargou uma asa por ribaabraçando a linda morena.lembrei de voltas passadadum pala preto que tinha,e o galopito que vinhaem direção ao povoado,e sempre o mesmo bragadopingo de redea e de pata,lembrei tambem da mulatapor quem tive enfeitiçado.assim se deu o romance pra quem se lembra o espanto,e juro por qualquer santointé por nossa senhora,que descobri nessa horaa força bruta do amor,e lhes juro sim senhorque corvo também namora[bombeava, bombeava o corvo pra corvae ela com ar de ronronar...retinta como a cambonafloreava o bico nas pena]e o corvo veio torena, vaqueano e cooperativalargou uma asa por ribaabraçando a linda morena.
Pago Lendário de Leonel Gomez

Com uma trajetória de sucesso Leonel Gomez em seu CD Pago Lendário, lançado em 2006, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Leonel Gomez.

Parceiros