Letra da música
Hace Tiempo
Jader Leal

CD Depois dos Mates (2011)


Esta música está disponível para ouvir

Jader Leal

Hace tiempo que as manhãs lá da estância
Não me encontram na “Invernada d’Ocalito”
Juntando o gado pra repassar no rodeio
Quando encilhava e ia ao tranco do zainito

Hace tiempo que os tentos do meu laço
Não cerram nas aspas de uma novilha
E um redomão não se arrasta “veiaquiando”
Pra eu forcejar num pelado de coxilha

Hace tempo, mas ainda sou o mesmo
Que a madrugada encontrava no galpão
Com olhos claros de lua e de sereno...
Hace tempo e não olvido meu rincão”

Hace tiempo que o lombo do cavalete
É morada do meu basto Paysandú
E as esporas são enfeites na parede
Com o bocal que ressecou o couro cru...

Hace tempo que aquele cusco amigo
Costeava o pingo no seu posto de escolta
E era o mesmo que alvorotava encilha
Fiel parceiro, no tranco de ida e volta


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

TRANCO: Andadura lenta dos eguariços.

BASTO: Tipo de arreio.

CUSCO: Pequeno cachorro (o mesmo que guaipeca).

PINGO: Afetivo de cavalo de estimação.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Jader Leal Hace tiempo que as manhãs lá da estância Não me encontram na “Invernada d’Ocalito”
Depois dos Mates de Jader Leal

Com uma trajetória de sucesso Jader Leal em seu CD Depois dos Mates, lançado em 2011, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Jader Leal.

Parceiros