Letra da música
Arranchado
José Claudio Machado

CD Arranchado (2005)


Nessa colmeia povoeira
Onde fiz arranchamento
Amarro fletes de sonhos
Nos palanques de cimento

Vou bebendo nostalgias
De sanga, pitanga e vento
Sesmarias de saudade
Não cabem no apartamento

Quando a Lua se debruça
No arranha-céu dos viveiros
Onde arranchei minha ama
No meu exílio povoeiro

Coiceia dentro do peito
Um coração caborteiro
Me sinto um pássaro preso
Na angústia do cativeiro

Um luzeiro imaginário
Na quincha de um céu nublado
Vai apartando rebanhos
De fumaça nos telhados

E uma saudade de noivo
De campo e berro de gado
E uma saudade de noivo
De campo e berro de gado

Vou embora pra querência
Pra me arranchar no meu chão
Amanhã, eu ponho anúncio
Nos grandes classificados

Vende-se um apartamento
No coração da cidade
A preço de ocasião
Por motivo de saudade

Vou embora pra querência
Pra me arranchar no meu chão
Amanhã, eu ponho anúncio
Nos grandes classificados

Vende-se um apartamento
No coração da cidade
A preço de ocasião
Por motivo de saudade

Vende-se um apartamento
No coração da cidade
A preço de ocasião
Por motivo de saudade


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

QUINCHA: Cobertura com santa-fé, macega ou folhas de palmeiras.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Nessa colmeia povoeira Onde fiz arranchamento Amarro fletes de sonhos Nos palanques de cimento
Arranchado de José Claudio Machado

Com uma trajetória de sucesso José Claudio Machado em seu CD Arranchado, lançado em 2005, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de José Claudio Machado.

Parceiros