Letra da música
Andejo Caminhar
Telmo de Lima Freitas

CD Poesias (2001)


Esta música está disponível para ouvir

A viola é meu campanário,
Minha prece, meu ritual,
Minha ternura morena
Para o meu cerimonial.
Encharcada de sereno
Com meu batismo regional,
Que faz da minha linguagem
Uma clave universal

Se eu gastar tudo o que tenho
Neste andejo caminhar,
Às vezes me levantando
Pra lhe ceder o lugar,
Não vou perder duma vaza
O que custei pra ganhar,
Sou missioneiro por gosto
E falo sem gaguejar.

Meu cartar não tem fronteiras,
Carrego desde guri,
Mescla de guapo, paisano,
Com alma de guarani.
São-borjense, pura cepa,
Da costa do Butuy,
Que cresceu sem muita pressa
Pra chegar até aqui.

O caldeamento que trago
De ventos e temporais,
Me fez crescer com crescem
Os jujos nos pajonais.
Por isso que sou gaúcho
Sem me esquecer jamais
Que Pátria se faz cantando
De a cavalo nos ideais.

Gosto da vida que tenho,
Gosto de ser como sou,
Se resvalei por acaso,
Quem é que não resvalou?
Campeando a volta do mundo,
Enforquilhado me vou,
Cruzando pelos caminhos
Que nunca ninguém cruzou.

Sou demais de agradecido,
Mas preciso continuar,
Outros caminhos me chamam,
Não posso me demorar.
Mas, se valeu o meu canto,
Me ajudem a cantar,
Sou promessa verdadeira
Que não passa sem voltar.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) A viola é meu campanário, Minha prece, meu ritual, Minha ternura morena Para o meu cerimonial.
Poesias de Telmo de Lima Freitas

Com uma trajetória de sucesso Telmo de Lima Freitas em seu CD Poesias, lançado em 2001, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Telmo de Lima Freitas.

Parceiros