Letra da música
Acorda Bugio
João Luiz Corrêa

CD Relíquias do Sul (2018)


José Gaspar Machado da Silva e Rogério Melo

Bugio tá na hora do novo floreio,
De freio e pelego - acorda bugio!
Que um gato do mato,
Miando e gemendo também
Tá morrendo na costa do rio.
Bugio olha o mato,
Que o mato é do homem,
Que tudo consome no seu pobrerio.
Mata e desmata o seu mundo pequeno,
O rio tem veneno, acorda bugio.
Bugio desse galho, que vai despencar.
Eu quero cantar do teu lado tu viu,
De bota e bombacha e chapéu de aba larga.
A vida tá amarga - acorda bugio!

Bugio sentinela, o campo tem dono,
Não pega no sono nas tardes de estio.
Que vem nessa trilha o homem cachorro,
No rastro do sorro - acorda bugio!
Bugio anuncia pros bichos do mato,
Mas grita de fato - acorda bugio!
Que venham pra o campo,
De freio e pelego,
Cantar por sossego no mato e no rio.
Bugio desse galho, que vai despencar,
Eu quero cantar do teu lado tu viu,
De bota e bombacha e chapéu de aba larga.
A vida tá amarga - acorda bugio!


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

BOTA: Calçado com cano (curto, médio ou longo), feito de couro.

BOMBACHA: Calça-larga abotoada na canela do gaúcho

SORRO: Cachorro selvagem do banhado.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) José Gaspar Machado da Silva e Rogério Melo Bugio tá na hora do novo floreio, De freio e pelego - acorda bugio!

Parceiros