Letra da música
Abertura - O Poeta não Morre!
João Luiz Corrêa

CD Relíquias do Sul (2018)


Texto Poético: José Machado Leal
Acompanhamento: Gilberto Monteiro

Como fim de um ronco de mate, o poeta morreu!
Morreu o compositor que nos ensinou
De como cantar um flete.
Morreu o poeta dos versos com cheiro de pasto
E basto, com rangidos de carona nova.

Morreu gaspar machado,
Um cantor com mansidão na voz;
Um espadachim do verso xucro.

Seu canto foi mais que um brado
Que mandou, em forma de recado,
Um “chasque pra dom munhoz”.

Morreu um cacique da taba crioula,
Levando como regalo a tupã,
Apenas o seu verso, hino terrunho
E sua pena uma lança guarani.
Mas o poeta, o poeta não morreu.
Ficou na memória dos seus amigos e da sua gente.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Texto Poético: José Machado Leal Acompanhamento: Gilberto Monteiro Como fim de um ronco de mate, o poeta morreu!

Parceiros