Letra da música
É Nisto Que Boto Fé
Os Mirins

CD De Todos Os Tempos (2002)


Esta música está disponível para ouvir

Eu boto fé naquilo que me pertence
Sou peão rio-grandense criado com pouco luxo
É sendo assim meu trabalho é minha crença
A palavra é uma sentença que roda esse gaúcho.
Eu boto fé na gente da minha raça
Que na hora da fumaça fica pegando parelho
Gosto do galo que morre e não pede trégua
E dou cola de égua feito num lenço vermelho

Eu boto fé nas cinco armas que trago
Um violão desbotado e as quatro petas do pingo
Com esses munícios sempre me sobram cambichos
Cantando pelos bolichos no entardecer de domingo.

Eu boto fé no meu braço de campeiro
E no jeitão altaneiro embora sendo um índio pobre;
O meu conceito é viver com galhardia
É cruzar as sesmarias sem deixar que a espinha dobre.
Eu boto fé na velha cruz de lorena
E nas auroras morenas trazendo o fim dessas guerras
Também “lo creio” que um dia encontrarei
Aqueles que tanto amei e se bandearam da terra;


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

PEÃO: Operário de estabelecimento rural ou associado de entidade tradicionalista.

PINGO: Afetivo de cavalo de estimação.

CAMPEIRO: Vivente que monta bem e é hábil no serviço de campo.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Eu boto fé naquilo que me pertence Sou peão rio-grandense criado com pouco luxo É sendo assim meu trabalho é minha crença A palavra é uma sentença que roda esse gaúcho.
De Todos Os Tempos de Os Mirins

Com uma trajetória de sucesso Os Mirins em seu CD De Todos Os Tempos, lançado em 2002, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Os Mirins.

Parceiros