Letra da música
O Suor do Negro e o Sangue do Boi
Mano Lima

CD De Pai Pra Filho (2017)


Esta música está disponível para ouvir

A pele retinta, tingida de sangue
Mostrando as feridas e a dor do açoite
O suor derramado pelo saladeiro
Te di' a Charqueada, senzala de noite

Vivia o escravo, cativo de estância
Com a mesma sina de mercadoria
O boi tastaveando pra um charque futuro
Esperando a morte depois da sangria

O suor do negro e o sangue do boi
Encheram guaiacas de donos feudais
Fazendo do gado o ocro na morte
E a vida do negro, salgada demais

Vivia o escravo, cativo de estância
Com a mesma sina de mercadoria
O boi tastaveando pra um charque futuro
Esperando a morte depois da sangria

Nos dias de hoje, o negro liberto
Já não tem a fúria das mãos do feitor
Mas ainda sente o chicote do mundo
Pelas diferenças de credo e de cor
Mas ainda sente o chicote do mundo
Pelas diferenças de credo e de cor

"A vida na terra foi globalizada
E é cabresteada por muita ganância
Onde muitas vidas são acorrentadas
No tronco da intolerância"


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

SINA: Destino, sorte.

CHARQUE: Carne salgada e seca ao sol.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) A pele retinta, tingida de sangue Mostrando as feridas e a dor do açoite O suor derramado pelo saladeiro Te di a Charqueada, senzala de noite
De Pai Pra Filho de Mano Lima

Com uma trajetória de sucesso Mano Lima em seu CD De Pai Pra Filho, lançado em 2017, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Mano Lima.

Parceiros