Letra da música
Prece ao Minuano
Telmo de Lima Freitas

LP Alma de Galpão (1980)


Nestas planuras do rio grande onde existe
Um cantor que é bem mais triste
Que o cantar do meu violão
Deixa semente de saudade quando passa
Se mesclando na fumaça da minha imaginação

Ouço cantigas do minuano me pedindo
Que os caminhos vão se abrindo
Pra passar minhas canções
Rogando ao mundo que a maior fraternidade
Seja o elo da bondade pra todos os corações

Vento minuano eu te peço que prossigas
Nesta cantiga de fraterna comunhão

Vento minuano pensativo te reponto
O meu mate ja está pronto
Porque sou madrugador
Venho pedir-te muito pouco quase nada
Que ilumine a carreteada
Da minha querência flor

Peço que tragas a mensagem para o povo
Animando o sangue novo
Seiva forte do meu chão
Para que sigam a cantar o mesmo hino
Reafirmando seu destino da futura geração

Vento minuano eu te peço que prossigas
Nesta cantiga de fraterna comunhão


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

MINUANO: Vento predominante frio e seco, que sopra do quadrante SW (Alegrete, Uruguaiana, Quaraí, Barra do Quaraí) - donde habitavam os nativos (índios) denominados Minuanos (por essa razão), que se tornaram hábeis campeiros (laçadores e boleadores).

MATE: Só é mate se tiver algum jujo (chá) junto com a erva.

QUERÊNCIA: Lugar onde se gosta de viver; se quer viver; lugar do bem-querer.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) nestas planuras do rio grande onde existe um cantor que é bem mais triste que o cantar do meu violão deixa semente de saudade quando passa
Alma de Galpão de Telmo de Lima Freitas

Com uma trajetória de sucesso Telmo de Lima Freitas em seu LP Alma de Galpão, lançado em 1980, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Telmo de Lima Freitas.

Parceiros