Letra da música
Mágoa de Tropeiro
Os Mateadores

LP Dê-lhe Boca (1988)


Meu pai foi tropeiro de longas jornadas
De hoje mais nada sobrou desse tempo
O progresso do homem matou esse ofício
Talvez é por isso que às vezes lamento

Era amigo de fé nos meus tempos de piá
A tropa passar levantando poeira
Na culatra paciente o tropeiro tocando
E o ponteiro assobiando a canção boiadeira

Onde andarão esses guapos xirús
Que nem couro cru sovado da lida
Se foram com o tempo igual vento se vai
Comparado ao meu pai já no fim da vida

Mas hoje só resta em alguns a ilusão
Olhar caminhão no lugar dos campeiros
Não tem mais sesteada na estrada da vida
Acabaram com a lida dos velhos tropeiros

//repete
Onde andarão esses guapos xirús
Que nem couro cru sovado da lida
Se foram com o tempo igual vento se vai
Comparado ao meu pai já no fim da vida

Mas hoje só resta em alguns a ilusão
Olhar caminhão no lugar dos campeiros
Não tem mais sesteada na estrada da vida
Acabaram com a lida dos velhos tropeiros


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

TROPA: Coletivo de militares e de bovinos.

CULATRA: Retaguarda.

SESTEADA: Breve dormida para descanso após o almoço.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Meu pai foi tropeiro de longas jornadas de hoje mais nada sobrou desse tempo o progresso do homem matou esse ofício talvez é por isso que às vezes lamento
Dê-lhe Boca de Os Mateadores

Com uma trajetória de sucesso Os Mateadores em seu LP Dê-lhe Boca, lançado em 1988, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Os Mateadores.

Parceiros