Letra da música
Fandango no Povoado
Os Mateadores

LP Dê-lhe Boca (1988)


Minha morena ajeitou bem o cabelo
Essa guria disse que hoje me laça
Me intimou pra um fandango no povoado
Não me faço de rogado, sei que de hoje não passa
Me chochichou que o gaiteiro vai ser dos bueno
A noite inteira vai ter pandeiro e violão
Depois da lida encilho bem o cavalo
E me atraco pra um surungo nos cafundó do rincão

Não te achica, minha flor de morena
Que a noite é pequena e o galo passou da hora
No fim do baile se te levar no meu pingo
Te arrasto pros pelego e credo em cruz nossa senhora

O baile véio se arrasta, cento por cento
E a gurizada escolhe a dedo as guria
Batendo os taco, fungando na polvadeira
Me arrasto na vanera, com a morena que judia
A gaita espicha no fole que se arreganha
Quem não se assanha, não leva prenda pra sala
E a morena me aperta de encontro ao peito
E assim meio sem jeito num beijo fica sem fala


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

GURIA: menina, moça (Se usa em outras partes do Brasil)

FANDANGO: Denominação genérica do Baile Gaúcho.

SURUNGO: Baile de baixa categoria.

CAFUNDÓ: Lugar ermo e solitário.

PRENDA: Jóia, relíquia, presente (dádiva) de valor; em sentido figurado, é a moça gaúcha porque ela é jóia do gaúcho.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Minha morena ajeitou bem o cabelo essa guria disse que hoje me laça me intimou pra um fandango no povoado não me faço de rogado, sei que de hoje não passa
Dê-lhe Boca de Os Mateadores

Com uma trajetória de sucesso Os Mateadores em seu LP Dê-lhe Boca, lançado em 1988, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Os Mateadores.

Parceiros