Letra da música
A Delicada
Joca Martins

CD Barulho de Campo (2017)


Mal amanhece lá fora.
Foi gelada madrugada!
No silêncio desta geada
Não cabe o som da tua espora.
Foi pouca a tua demora,
Mas a minha noite te viu
E o poncho que me cobriu
Te faz falta campo fora.
Por onde andarás agora
Por este mundo de frio?

Beijo o poncho que me abriga
E descubro por onde tu andas.
Pelo cheiro das pitangas,
Numa ponta de restinga.
Numa canhada florida,
Pelo aroma da manhã.
Anda agarrado na lã
O perfume da tua vida.
Nestas fragrâncias sentidas
Entre poeira e picumã.

O cheiro do teu gateado
Está pegado a baeta.
Suor de anca e paleta
Onde o poncho vem armado.
Traz aromas de banhado,
De marcela e de alecrim.
Cheira a mel de camotim,
Cheira a melão de cercado.
Onde cruzas , meu amado,
Teu poncho fala pra mim.

Tem frescor de “ocalito”,
Olor de fogão tropeiro,
Fumaça, brasa e palheiro
E o asseio d‘um ranchito.
Mas que mundo tão bonito,
O teu poncho me reserva!
No aroma da tua erva,
Tão pouco e tão infinito.
Quando levares teu poncho,
Jamais andarás solito.

Depois do frio e da geada,
Ainda vem chuva e tormenta.
Sem poncho ninguém aguenta
No fundo das invernadas.
Voltas numa madrugada,
Para buscar o teu calor.
Levas bem mais que uma flor
Na baeta perfumada.
No fio da lã entranhada,
O cheiro do nosso amor.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Mal amanhece lá fora. Foi gelada madrugada! No silêncio desta geada Não cabe o som da tua espora.
Barulho de Campo de Joca Martins

Com uma trajetória de sucesso Joca Martins em seu CD Barulho de Campo, lançado em 2017, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Joca Martins.

Parceiros