Letra da música
Bailanta da Alpargata
Valdomiro Maicá

CD O Melhor de Valdomiro Maicá (2016)


(letra: João Alberto Pretto | música: Valdomiro Maicá/Atahualpa Ottonelli Maicá)

Foi num surungo missioneiro em caibaté
Um arrasta-pé de "tremê" toda a carcaça
Mais turbinado do que foguete de russo
"carcava" o fuço que nem porco nas batata'

Pilcha da hora, boina, faixa e alpargata
Pra algum desata, um trinta adulando o joelho
Lá pelas tanta', eu perdi uma alpargata
Saí na cata, aplainando o tornozelo

E quanto mais ia tateando
Mais e mais ia empurrando
No meio da polvadeira
Um pé sim, outro faltando
Já tava num tranco manco
Com a china me reclamando
Vê se acha esta alpargata
Que eu também já tô mancando

Surungo guapo, de "lanhá" cueca em virilha
Com a panturrilha embolada a vanerão
Naquele malho, falquejando o agasalho
E dê-lhe atalho, com um pé só, pelo chão

E assim tranquei, trazendo a noite no colo
Com torcicolo, de tanto cata-não-cata
E a indiada buena, chutando o stress da vida
Se divertia na bailanta da alpargata

E quanto mais ia tateando...


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

SURUNGO: Baile de baixa categoria.

TAVA: O osso do jogo-do-osso.

TRANCO: Andadura lenta dos eguariços.

CHINA: Mulher mameluca (primeira companheira do gaúcho).

Compartilhe

(letra e música para ouvir) (letra: joão alberto pretto | música: valdomiro maicá/atahualpa ottonelli maicá) foi num surungo missioneiro em caibaté um arrasta-pé de "tremê" toda a carcaça

Parceiros