Letra da música
Medalha Sagrada
Flávio Mattes

LP Medalha Sagrada (1985)


Flávio Mattes, Deva e Luiz de Lara
Canção Rancheira - Valsa


Toda vez que saia
Minha mãezinha dizia tome cuidado na estrada
Pra sua proteção
Leve no seu caminhão esta medalha sagrada!
Mas eu sempre recusava
Por que não acreditava em nenhuma religião;
Dizendo tenho ao meu lado
Uma revólver carregado que é a minha proteção!

Então ela me respondia
Que rama só valia pra quem tem más intenções;
Pra te livrar do perigo
Leve a medalha contigo que vale mais que mil canhões!
Tanto mamãe insistia
Até que um certo dia antes de uma viagem
No pescoço pendurei
A medalha e nem olhei de quem era aquela imagem!

Numa certa madrugada
Eu dormia na estrada alguém veio me acordar;
Saia de mãos par o alto
Dizendo isto é um assalto, agora vou te matar!
Vendo de perto a morte
Então joguei com a sorte e me avancei no ladrão;
Apesar de desarmado
Num gesto desesperado eu joguei ele no chão!

Com o revolver engatilhado
O ladrão apavorado com a minha reação
Vendo que não tinha jeito
Deu-me um tiro no peito e sumiu na escuridão!
Com o peito adormecido
Chorei muito comovido e ao peito levei a mão;
E encontrei toda amassada
Aquela medalha sagrada em cima do meu coração!

Ergui as mãos para o alto
E ajoelhado no asfalto agradeci a Jesus;
Quando o bandido atirou
Foi ele quem me salvou, esmo pregado na cruz!

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Flávio Mattes, Deva e Luiz de Lara Canção Rancheira - Valsa
Medalha Sagrada de Flávio Mattes

Com uma trajetória de sucesso Flávio Mattes em seu LP Medalha Sagrada, lançado em 1985, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Flávio Mattes.

Parceiros