Letra
A Cusco e a Mangaço

Músicas e letras de
Mauro Moraes
CD Manada (2006)


Quando esparramo meu laço
Calçando o zaino na espora
Num combate campo a fora
Contra um boi mandando pata...
Quis a "mala suerte" ingrata
Que eu errasse aquele pealo
E que rodasse o cavalo
"Virge" quase que me mata.

Mas eu como sou vaqueano
Cruzei a perna ligeiro
Só escutei o "entrevero"
De pingo, terra e boléu...
Quando finco meu chapeú
Bem debochado na nuca
Nem diabo, nem arapuca
Me "cambeiam" lá pro céu.

Chega, chega, pega, pega
Que o zebu é caborteiro!
Me entrincheirei nas macegas
Atiçando os ovelheiros.

E não é que o boi me veio
"Causa" do pala encarnado
Trazia um cusco agarrado
Bem na junta do garrão...
Meu cachorro "Tradição"
Mordendo o tronco da "oreia"
Pressentindo a coisa feia
Virei o mango na mão.

E aprumei o "pitangueira"
Bem no miolo do tirano
Nisso já vinha meu zaino
Me procurando no espaço...
Coisas da lida de laço
Pra quem anda de a cavalo
Se eu não derrubo de um pealo
Derrubo a cusco e mangaço.


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

PALA: Poncho leve de seda (para o verão), de algodão (para meia-estação) e de lã tramada ou bixará (para o inverno).

CUSCO: Pequeno cachorro (o mesmo que guaipeca).

CHIMANGO: Ave rapinídea; alcunha dada em 1915, aos Borgistas (usuários do lenço branco com nó comum).

Compartilhe

Mauro Moraes - A Cusco e a Mangaço (letra e música para ouvir) Quando esparramo meu laço Calçando o zaino na espora Num combate campo a fora Contra um boi mandando pata...
Manada de Mauro Moraes

Com uma trajetória de sucesso Mauro Moraes em seu CD Manada, lançado em 2006, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Mauro Moraes.

Parceiros