Letra da música
Bochincho Em Unistalda
Xiru Missioneiro

CD Pampa Brasino - CD Duplo (2002)


Lourenço Notargiácomo / Xirú Missioneiro

(Hohola cosa buena, hoje eu me largo pra um fandango,
lá pras bandas de Unistalda, vou bailar de pé trocado,
que a gente aperta e mete a perna, não é Sadi Machado?)

Fiquei sabendo dum baile velho cuiudo
Desses crinudo de metê de upa e iupa
Apertei os caco no mouro véio carancho
Mala de poncho e acordeona na garupa
A galopito cortei por dentro do campo
Dereito ao surungo lá pras banda de Unistalda
E a gaita véia que gemia e resmungava
Nas munhéca de um gaitero que golpeava a meia espalda

(Dom Miguel Marques e o Tio Nanato, bom gaiteiro
E a indiada se escafedia numa vanera,
num balanço de Gilberto Monteiro)

Dono do rancho quando enxergou que era eu
Me arrecebeu na moda véia hospitaleira
Mandou passar e me apresentou pra família
Que me queria que eu tocasse umas venera
Já de vereda me arrastou lá pra cozinha
Me serviu um assado de Gambá e Jaguatirica
E um custilhado de Capincho enfumaçado
Num ensopado bem cardiado de canjica

(Meu amigo Kiko vai caçando uns Tatu que eu vou levá
o Luiz Antonio Vieira e o Edson Amaral Miguelan)

Garrei a gaita e já guasquei um limpa banco
Desses de loco se escafedê no balanço
Queixo com queixo tinindo rangindo o couro
Metendo o laço num trancaço de boi manso
E o baile véio foi comendo a madrugada
Garrando corpo num balanço bem campeiro
E a vinte e quatro quando roncava nos baixo
Que derrubava até Pelincho do poleiro (2x)

(Hohola fandango bueno e a indiada de tão bagual
chegava a dançar de acavalo)

Lá pelas tantas por meadas da madrugada
Chegou Beto Caetano, gaiteiro macanudo
Menito Sartura e desatou-lhe uma cantiga
Na moda antiga de um tal Mario Cuiudo
Quando o Sol veio rumbiando as festa do rancho
O Luiz Caetano agradeceu aquele povo
Disse daqui uns dias eu vou caçar outro Capincho
Pra outro bochincho vocês voltam aqui de novo

(Por despedida servi um café preto, pão guerrudo de panela
e um Puchero entreverado com mandioca, apimentado,
que baixava rasgando a goela)

por nelson de campos


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

XIRÚ: Vivente amigo e companheiro; é um vocábulo síntese da palavra CHE (amigo) e da palavra IRÚ (companheiro).

CRINUDO: Animal de crinas compridas ou grandes.

PONCHO: Pilcha, espécie de capa sem abertura e de gola redonda que abriga do frio.

SURUNGO: Baile de baixa categoria.

RANCHO: Primeira habitação erguida no Continente de São Pedro, edificada com material que abundava no local (leiva, torrão, pedra ou pau-a-pique e barreado), coberto com quincha.

LAÇO: Apero (acessório) trançado de couro cru, composto de argola, ilhapa, corpo e presilha.

PELINCHO: Restos de pêlos de animais, que ficam nos alambrados.

FANDANGO: Denominação genérica do Baile Gaúcho.

BUENO: Bom.

BAGUAL: excelente, bom, ótimo ou cavalo xucro

BOCHINCHO: Briga feia, festa informal

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Lourenço Notargiácomo / Xirú Missioneiro (Hohola cosa buena, hoje eu me largo pra um fandango, lá pras bandas de Unistalda, vou bailar de pé trocado,

Parceiros