Letra da música
A Volta do Tordilho Negro
Walther Morais

CD Walter Morais - 25 Anos (2013)


Esta música está disponível para ouvir

Aquele tordilho negro
Que a muito tempo domei
Na estancia do paredão
Um certo dia voltei
Fui atender o chamado
Da moça que a flor ganhei
Pra chegada ter mais brilho
Eu fui no mesmo tordilho
E as três da tarde cheguei

A fazenda embandeirada
De muito longe avistei
Um peão pra abrir a cancela
Meti o tordilho e cruzei
A linda moça na porta
Falou pro pai escutei
Vem chegando o domador
Aquele que eu dei a flor
E agora me apaixonei

Desci do tordilho negro
E a mão da moça apertei
Num aperto de carinho
Que ela me amava notei
Sem sentir nada por ela
Pedi licença e entrei
Tava ansiosa que eu chegasse
E mandou que eu sentasse
Numa cadeira de rei

Logo veio o chimarrão
E a boa erva provei
Deu-me outro sinal de amor
Aí me justifiquei
Não resisti dei um beijo
E pra cadeira voltei
Dei-lhe a cuia com carinho
Apertei o seu dedinho
Que amava lhe confessei

Pedi um prazo de um ano
Com a linda moça casei
Na garupa do tordilho
Pra minha casa levei
Na estancia do paredão
Dois presentes eu ganhei
Duas coisas que um homem quer
Cavalo bom e mulher
Meu sonho realizei


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

FAZENDA: Estabelecimento rural com uma área entre 10 e 50 quadras de sesmaria de campo (ou 871 até 4.356 hectares), dividida em invernadas (cria, bois, vacas de invernar, etc.).

PEÃO: Operário de estabelecimento rural ou associado de entidade tradicionalista.

CUCUIA: Além do além.

GARUPA: Anca.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Aquele tordilho negro Que a muito tempo domei Na estancia do paredão Um certo dia voltei
Walter Morais - 25 Anos de Walther Morais

Com uma trajetória de sucesso Walther Morais em seu CD Walter Morais - 25 Anos, lançado em 2013, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Walther Morais.

Parceiros