Letra da música
A Meia Rédea
Grupo Quero Quero

CD Lá Vem o Rio Grande a Cavalo (1993)


Por pachola ato a cola do lobuno
Saio sem rumo a dominguear nos corredores
Baralho e tava, neste dia, são meu mundo
E eu vou lamber o sol no poncho dos amores

Lá onde o bem-te-vi solta o seu canto
Vou colher beijos das morenas que são belas
Pois não há nada que se iguale a uma gaúcha
Quando a beleza se debruça sobre ela


Por isso esse peão vai
A meia rédea pra não ter desilusão
Todo cuidado é muito pouco com as morochas
Pra que não fique enredado o coração

Na ressolana da manhã iluminada
Bota engraxada e o rebrilho das esporas
De contra o vento meu chapéu de aba tapeada
Abre caminhos pros meus sonhos campo a fora

E quando escuto algum floreio de cordeona
Minh'alma voa pra chegar antes de mim

Ajeito o lenço e com a fachada de estancieiro
Entro no baile pra dançar até o fim
Pra que não fique enredado o coração
Pra que não fique enredado o coração


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

PONCHO: Pilcha, espécie de capa sem abertura e de gola redonda que abriga do frio.

PEÃO: Operário de estabelecimento rural ou associado de entidade tradicionalista.

RÉDEA: Apero de couro (torcido, trançado ou chato) preso às gambas do freio, que servem para governar os eguariços.

RESSOLANA: Lugar protegido e abrigado do vento, que se toma sol no inverno (bom para lagartear).

Compartilhe

(letra e música para ouvir) por pachola ato a cola do lobuno saio sem rumo a dominguear nos corredores baralho e tava, neste dia, são meu mundo e eu vou lamber o sol no poncho dos amores
Lá Vem o Rio Grande a Cavalo de Grupo Quero Quero

Com uma trajetória de sucesso Grupo Quero Quero em seu CD Lá Vem o Rio Grande a Cavalo, lançado em 1993, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Grupo Quero Quero.

Parceiros