Letra da música
Amanhecido
Cesar Oliveira e Rogério Melo

CD Era Assim Naquele Tempo (2012)


Esta música está disponível para ouvir

A manhã pedindo cancha
Sobre a missa de um balcão
Onde o padre é o bolicheiro
E a canha é que dá a bênção.

Vão doutrinando os paisanos
Num batismo de fronteira
Que vai fazendo esparramo
Na ideia de quem clareia.

Quem rezou a noite inteira
No altar tradicional
Campeando o rumo das casas
É pecador no ritual
Ainda vai retumbamdo na cabeça um bordoneio
E o sol cozinha sem pressa
Quem vai firmando os arreios.

E o sol cozinha sem pressa
Quem vai firmando os arreios.

Mas é do santo Rosário
Que vem do corpo benzendo,
Pena que a borracheira
Traz as duas mãos tremendo.

Sorte o pingo das confiança
Que ainda conhece o prumo
Noite segue pela estrada
Multiplica o próprio rumo
Mas de fato pouco importa
O que fiz de madrugada
Pois o fim foi na porteira
Bem na hora da pegada.

Por cristão rougo assultuando
Uma vanera pro céu
Pois na encilha achei minha alma
Perdida nesse mundéu.

Na farra golpeando trago
Quis vender mais um domingo
Por que galo da fronteira
Mete até quase dormindo.

Por que galo da fronteira
Mete até quase dormindo.

Eu sou crente desta igreja
Onde a canha é quem batiza.
No culto manda quem pode,
Obedece quem precisa.


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

PINGO: Afetivo de cavalo de estimação.

ENCILHA: São os aperos que vão sobre o lombo do eguariço, somente.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) A manhã pedindo cancha Sobre a missa de um balcão Onde o padre é o bolicheiro E a canha é que dá a bênção.
Era Assim Naquele Tempo de Cesar Oliveira e Rogério Melo

Com uma trajetória de sucesso Cesar Oliveira e Rogério Melo em seu CD Era Assim Naquele Tempo, lançado em 2012, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Cesar Oliveira e Rogério Melo.

Parceiros