Letra da música
Bem Bagual
Velho Milongueiro

LP Coisas de Valor (1987)


Quando eu vim para o mundo minha mãe sentiu-se mal
Foi falando pra parteira isso ai não é normal
Um guri recém nascido dançar chula num hospital
Por isso desde cedo
Eu de nada tinha medo e já me acharam bem bagual

Eu vivo solto sem maneia e sem buçal
Pelos campos desta vida sou um índio bem bagual.

Mas depois quando eu cresci fiz o curso colegial
Conheci diversas moças do interior e capital
Quando vi que dava jeito sem perceber o sinal
Comecei erguer o talo
Pensavam que era um cavalo e já me acharam bem bagual.

Mais tarde eu me casei a achei sensacional
Ter uma prenda só minha de respeito e de moral
Ver a piazada brincando la no fundo do quintal
Com sabuco e boi de osso
Na alegria e no alvoroço se criando bem bagual.

Sou índio que não se entrega nem que a coisa corra mal
Não sou de pealar pinto no meio do macegal
Conheço a lida campeira tenho marca e sinal
Não caio de redomão
Pra laçar eu sou campeão por isso sou bem bagual.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Quando eu vim para o mundo minha mãe sentiu-se mal Foi falando pra parteira isso ai não é normal Um guri recém nascido dançar chula num hospital Por isso desde cedo
Coisas de Valor de Velho Milongueiro

Com uma trajetória de sucesso Velho Milongueiro em seu LP Coisas de Valor, lançado em 1987, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Velho Milongueiro.

Parceiros