Letra da música
Venta Rasgada
Os Tiranos

CD 10 Anos Estampa da Tradição (2000)


Alço a perna na torena
E mando abrir a porteira
O meu mango sobe e desce
Como pau de lavadeira
Reiúno tem que ser tigre
Para me sacar dos meus cacos
Quando a espora deixa guejas
Da "minha marca" no sovaco

Os meus cravos bem afiados
Sacam longas da paleta
Com o beiçudo campo a fora
Bufando e dando gambeta
Vem com a vida segura nos
Tentos do cabrestilho
E à virgem que me acompanha
Na cabeça do lombilho

No que cruzou do açude já
Tinha pasto nas ventas
Com os olhos rubrus de sangue
E adivinhando tormenta
Mirou a costa do mato e
Enveredou para o passo
Se esquivando das "prateadas"
Com patada e manotaço

Quando me apeio no rancho
Depois no causo passado
O potro outrora ventena,
Vem pastar no meu costado
Parece entender que a dona
Faz parte da dura lida
E ensina homem e cavalo
As duras penas da vida


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

CHIMANGO: Ave rapinídea; alcunha dada em 1915, aos Borgistas (usuários do lenço branco com nó comum).

CAUSO: Conto, estória.

POTRO: Cavalo novo que ainda não levou lombilho.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Alço a perna na torena e mando abrir a porteira o meu mango sobe e desce como pau de lavadeira
10 Anos Estampa da Tradição de Os Tiranos

Com uma trajetória de sucesso Os Tiranos em seu CD 10 Anos Estampa da Tradição, lançado em 2000, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Os Tiranos.

Parceiros