Letra da música
De Chão Batido
Os Monarcas

DVD Ao Vivo 40 Anos (2012)


Em chucra bailanta de fundo de campo
O fole e o tranco vão acolherados
O índio bombeia pro taco da bota
E o destino galopa num sonho aporreado
Polvadeira levanta entre o sarandeio
E é lindo o rodeio de chinas bonitas
Quem tem lida dura e a idéia madura
Um trago de pura a alma palpita.

Atávico surungo de chão batido
Chucrismo curtido na marca do tempo
Refaz invernadas de ânsias perdidas
Encilha a vida no lombo do vento.

Faz parte do mundo do homem campeiro
Dançar altaneiro no fim de semana
O gaúcho se arrima nos braços da china
Que cutuca a sina com um trago de cana
Basta estar num fandango do nosso rio grande
Pra ver que se expande este elo gaúcho
Esta pura verdade que não tem idade
É a nossa identidade aguentando o repuxo.

Atávico surungo de chão batido
Chucrismo curtido na marca do tempo
Refaz invernadas de ânsias perdidas
Encilha a vida no lombo do vento.


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

TRANCO: Andadura lenta dos eguariços.

RETACO: Vivente de pequena estatura, porém, entroncado e forte.

BOTA: Calçado com cano (curto, médio ou longo), feito de couro.

APORREADO: Mal domado.

RODEIO: Reunião para cuido, que se faz do gado.

SURUNGO: Baile de baixa categoria.

CAMPEIRO: Vivente que monta bem e é hábil no serviço de campo.

GAÚCHO: Palavra de origem guarany, pois nessa língua não existe vocábulos com o som da letra “L”.

CHINA: Mulher mameluca (primeira companheira do gaúcho).

SINA: Destino, sorte.

FANDANGO: Denominação genérica do Baile Gaúcho.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) Em chucra bailanta de fundo de campo O fole e o tranco vão acolherados O índio bombeia pro taco da bota E o destino galopa num sonho aporreado

Parceiros