Letra da música
Campereada da Vida
Grupo Querência

CD Campeiros e Urbanos (1998)


Porteira aberta
Pra os cavalos que vão indo
Para outros pagos distantes do meu rincão
São horas largas para um campeiro teatino
Que mal tem tempo pra cevar seu chimarrão
O meu cachorro velho amigo e companheiro
Que me acompanha e nunca me deixa na mão
Meu pala velho que me serve de abrigo
Vou campo a fora camperear a solidão

São essas coisas
Que a gente da valor
Não tem mistério, pra quem se criou sem luxo
Vou ao "tranquito"
No meu zaino "escarceador"
Tem que ter braço pra aguentar este repuxo

Não tem distância que eu não tenha percorrido
E nem bagual que me tirasse dos arreios
No meu serviço eu não conheço domingo
Tocando a tropa, não me assusta o tempo feio
Tem outra coisa que eu respeito nesta vida
E ultimamente não me deixa descansar
Pois já me vejo com a "melena" embranquecida
E com patrão velho algum dia eu irei tropear


Algumas palavras contidas nesta letra estão em nosso dicionário de gauchês

CAMPEIRO: Vivente que monta bem e é hábil no serviço de campo.

PALA: Poncho leve de seda (para o verão), de algodão (para meia-estação) e de lã tramada ou bixará (para o inverno).

BAGUAL: excelente, bom, ótimo ou cavalo xucro

PATRÃO: A maior autoridade de uma Estância, Fazenda ou CTG.

Compartilhe

(letra e música para ouvir) porteira aberta pra os cavalos que vÃo indo para outros pagos distantes do meu rincÃo sÃo horas largas para um campeiro teatino
Campeiros e Urbanos de Grupo Querência

Com uma trajetória de sucesso Grupo Querência em seu CD Campeiros e Urbanos, lançado em 1998, reporta ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Grupo Querência.

Parceiros